2018

1980

O Hospital Universitário carrega seu nome e costumava dizer que foi a maior realização de sua vida. O docente e escritor Polydoro Ernani de São Thiago (1909-1999) lutou muito e por muitos anos para que o projeto da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) se tornasse realidade. A conquista dele, da comunidade, de alunos e professores, consolidou-se em 2 de maio de 1980.

O professor Polydoro Ernani de São Thiago (2º da dir.
para esq.) na inauguração do HU em maio de 1980

 
A defesa do HU é a mesma de sua origem, 100% público e gratuito, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Com o tempo, buscou e conquistou o reconhecimento da sociedade catarinense. Atende, diariamente, à comunidade local, estadual, turistas e visitantes de Florianópolis.

Na manhã desta quarta-feira, 2 de maio de 2018, há exatos 38 anos de seu nascimento, o hospital de ensino celebrou sua história, rememorando-a e acolhendo 26 novos trabalhadores, vindos de vários estados do país, e que atuarão nas áreas de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Administrativa, Engenharia Civil e Direito.

Os profissionais chegam à UFSC em data especial à instituição e para recepcioná-los, o reitor pro tempore e eleito da UFSC, Ubaldo César Balthazar, a superintendente do HU, Maria de Lurdes Rovaris, o vice-diretor do Centro de Ciências da Saúde (CCS), Fabrício de Souza Neves, a representante da Gerência de Ensino e Pesquisa, Nádia Salum, a gerente de Atenção à Saúde, Francine Lima Gelbcke, e o chefe em exercício da Divisão de Gestão de Pessoas, Maurício Moraes, que se revezaram entre os 26 para felicitação e entrega dos kits de boas-vindas.

Gestão da Ebserh e da UFSC na comemoração dos 38
anos do HU e posse de 26 novos trabalhadores

Os gestores Ubaldo e Maria e Lurdes recordaram-se dos momentos que antecederam a inauguração do HU. Ambos já eram professores da UFSC na época e dividiram suas lembranças aos que estão começando na instituição. “A história que vou apresentar leva muito do meu olhar, pois ingressei na UFSC em março de 1980, quando a instituição se preparava para inauguração do Hospital de Clínicas”, disse Maria de Lurdes. Esta denominação permaneceu até receber o nome do professor Polydoro Ernani de São Thiago, após a sua morte em 1999.

A superintendente contextualizou que o HU foi idealizado para 550 leitos. “Atualmente tem capacidade instalada de 300 leitos, dos quais ainda não estamos com 200 ativos. A chegada dos trabalhadores realmente representa uma retomada do hospital por conta das perdas nos últimos dois anos por conta das aposentadorias”, afirmou. Para Ubaldo é um momento para se pensar neste trabalho e das muitas pessoas envolvidas. “Nós vamos fazer o hospital crescer, alcançar à antiga promessa de 500 leitos, com o trabalho, inclusive, dos que estão chegando agora”.

O hospital atende aos três níveis de assistência – atenção básica, média e alta complexidade. Além das diversas especialidades, é referência nas patologias complexas, como câncer e cirurgia de grande porte, e em pesquisas, como a que testa a eficácia da vacina contra o HPV.

Um centro de atendimento público e gratuito, humanizado e de elevado nível de competência técnica, esta é a percepção dos que são assistidos pelo HU, o que gera uma elevada demanda por parte da população. A emergência 24 horas atinge a média de 400 pacientes por dia.

O corpo clínico do HU é constituído por professores dos departamentos do CCS, que o utilizam como espaço de ensino, pesquisa e extensão, e de médicos, enfermeiros, farmacêuticos, bioquímicos, nutricionistas, assistentes sociais, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas e engenheiros biomédicos.

HU recebe 26 novos trabalhadores

Em dezembro de 2015, o HU passou a ser administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC). Pelo acordo de adesão, o hospital continua subordinado academicamente à Universidade e os serviços de assistência à saúde pelo SUS. Detalhes do contrato neste link.

A partir da assinatura com a Ebserh, o plano previa a adoção de medidas para a recuperação da infraestrutura física e tecnológica, recomposição do quadro funcional e a reativação de mais de cem leitos, um dos principais objetivos da adesão. O primeiro ingresso de trabalhadores pela empresa foi em agosto de 2017. Juntamente com a de hoje, a quarta convocação, ultrapassa 130 contratados.

Avanços

Maria de Lurdes Rovaris, superintendente do HU-
Ebserh

Maria de Lurdes Rovaris, em sua fala, fez uma cronologia dos avanços do HU. Relatou que a década de 80 foi marcada pela abertura do ambulatório, dos leitos de Clínica Médica, Pediatria, Centro Cirúrgico, Clínica Cirúrgica e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto. Em 1987 foi implantada a Residência Médica que atualmente conta com 21 programas.

Na década de 90 foi inaugurada a Unidade de Tratamento Dialítico, inclusive com transplante renal. Em 1995, foi instalada a maternidade, que é referência para o parto humanizado e que, desde 1997, o HU é certificado como Hospital Amigo da Criança pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância. O Hospital também é referência nacional para o Método Canguru, atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso.

Em 2004, o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) é instituído e, a partir deste momento, contratualiza com a Secretaria de Estado de Saúde, o que o certifica como hospital de ensino. Com este grande marco para o HU, houve o aumento da complexidade dos atendimentos e buscaram-se, ao longo dos anos, várias habilitações, entre elas: atenção ao portador de obesidade grave; unidade assistencial de alta complexidade em Oncologia com Hematologia; centro de referência em terapia nutricional; em retirada de órgãos e tecidos para transplante; transplante de fígado e de tecidos oculares humanos; implante coclear; cirurgia vascular e procedimentos endovasculares extracardíacos e em gestação de alto risco.

Conquistas

As obras de construção do HU iniciaram-se em 1964. Do projeto à construção, passaram-se 16 anos. Em 1980, o hospital é aberto à comunidade. Inicialmente instalaram-se os leitos das clínicas médica e pediátrica, com seus respectivos ambulatórios. Posteriormente foram ativados o Centro Cirúrgico, a Clínica Cirúrgica I e a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Adulto e, em 1995, a Maternidade.

O atendimento prioritário de ambulatório consolidou-se, permitindo que o HU se estruturasse em quatro áreas básicas: Clínica Médica, Cirúrgica, Pediatria e Tocoginecologia. Esta última foi implantada em 1995, juntamente com o Centro Obstétrico e as unidades de Neonatologia, após longo período de preparação de Recursos Humanos, equipamentos e técnicas de intervenção buscando alcançar elevados índices de modernização técnica e humanização do acolhimento.

Posse do professor Polydoro na direção do HU
em março de 1980

Polydoro

Polydoro Ernani de São Thiago formou-se na Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro, em 1935. Começou a exercer a Medicina em São Francisco do Sul, sua cidade natal, onde criou a maternidade, tendo sido seu primeiro diretor. Mais tarde, em Florianópolis, lecionou na Faculdade de Farmácia e Odontologia de Santa Catarina, de onde foi Diretor de 1950 a 1953. Foi um dos fundadores da Faculdade de Medicina da UFSC, em 1957, tendo assumido o comando da cadeira de Clínica Médica em 1962. Em 1945, foi eleito Presidente da Sociedade Catarinense de Medicina, mais tarde Associação Catarinense de Medicina (ACM). Participou também do movimento que criou o Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina, tendo integrado sua Diretoria Provisória, vindo a ser, anos após, seu Vice-Presidente. Em 1980, inaugurou o Hospital Universitário (HU/UFSC) e foi seu primeiro Diretor.

Escreveu sete livros, entre eles, “A Medicina e suas Transições Através dos Séculos”, lançado em 1997, ano que foi admitido como Patrono de Cadeira e membro Titular da Academia Catarinense de Letras e, em 1998, teve seus méritos de médico e escritor reconhecidos por seus pares.

 

Atendimentos

– Ambulatórios: com agendamento prévio, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, ininterruptamente.

– Emergência e internações: 24 horas, ininterruptamente.

 

Rosiani Bion de Almeida/Agecom/UFSC com informações do Portal Médico e do site do HU

Fotos: Ítalo Padilha e Acervo/Agecom/UFSC

www.hu.ufsc.br


Fonte: http://noticias.ufsc.br/2018/05/hospital-universitario-38-anos-a-maior-realizacao-da-vida-do-professor-polydoro/