Bem-Vindos!

  RIMS (5)

 Residência Integrada Multiprofissional em Saúde (RIMS) é uma modalidade de Pós-graduação lato sensu caracterizada pela formação em serviço, supervisionada por profissionais capacitados (preceptoria e tutoria), em regime de dedicação exclusiva, com atividades desenvolvidas no Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago (HU/UFSC).

O projeto está estruturado em três áreas de concentração – Atenção em Urgência e Emergência, Atenção em Alta Complexidade e Atenção em Saúde da Mulher e da Criança – e conta com profissionais das áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia, Serviço Social e Psicologia.

PRESSUPOSTOS

  • Multiprofissionalidade
  • Interdisciplinaridade
  • Conceito ampliado de saúde
  • Integralidade
  • Noção de rede de cuidados / cadeia do cuidado
  • Educação permanente em saúde

Eixos orientadores, de acordo com a Portaria 45/2007

  • Cenários de educação em serviço representativos da realidade sócio epidemiológica do país;
  • Concepção ampliada de saúde que respeite a diversidade, considere o sujeito enquanto ator social responsável por seu projeto de vida, inserido num ambiente social, político e cultural;
  • Abordagem pedagógica que considere os atores envolvidos como sujeitos do processo de ensino aprendizagem-trabalho;
  • Estratégias pedagógicas capazes de utilizar e promover cenários de aprendizagem configurados em itinerário de linhas de cuidado de forma a garantir a formação integral e interdisciplinar;
  • Articulação da Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde com a Residência Médica;
  • Integração com diferentes níveis de formação dos Programas de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde com o ensino de educação profissional, graduação e pós–graduação na área da saúde;
  • Descentralização e regionalização contemplando as necessidades locais, regionais e nacionais de saúde;
  • Integração ensino-serviço-comunidade por intermédio de parcerias dos programas com os gestores, trabalhadores e usuários, promovendo articulação entre ensino, serviço e gestão;
  • Integração de saberes e práticas que permitam construir competências compartilhadas para a consolidação do processo de formação em equipe, tendo em vista a necessidade de mudanças no processo de formação, do trabalho e da gestão na saúde;
  • Monitoramento e avaliação pactuados para garantir que o sistema de avaliação formativa seja dialógico e envolva a participação das instituições formadoras, coordenadores de programas, preceptores, tutores, docentes, residentes, gestores e gerentes do SUS e o controle social do SUS, considerando a conformação da política, da execução e da avaliação dos resultados;
  • Integralidade que contemple todos os níveis da Atenção à Saúde e à Gestão do Sistema.